Sendo actualmente o Tenor português com maior notoriedade no panorama operático internacional, Paulo Ferreira é natural de Santa Maria da Feira.

A sua estreia internacional deu-se em 2011 ao lado de Anna Netrebko, na grande sala de concerto da Kölner Philharmonie na Alemanha, acompanhados pela Gürzenich Orchestra, com a direcção musical do Maestro Cláudio Vandelli.

Tem-se apresentado por toda a Europa, em teatros tais como Palácio Euskalduna (Bilbao, ES), Welsh National Opera (Cardiff, UK), Teatro San Carlo di Napoli (Napoles, IT) Vatroslav Lisinski Concert Hall (Zagreb, HR), Kodály Központ (Pécs, HU) Staatsoper Hannover (Hannover, DE), Berliner Philharmoniker (Berlin, DE), Oldenburgisches Staatstheater (Oldenburgo, DE), Pfalztheater-Kaiserslautern (Kaiserslautern, DE), Stadthalle Bayreuth (Bayreuth, DE), Tiroler Landestheater (Innsbruck, AT),  Opera Basel (CH), Malmö Opera (Malmö, SE) etc., interpretando sempre o protagonista masculino no grande repertório de Ópera, em obras tais como “Tosca”, “Turandot”, “Manon Lescaut”, “Un Ballo in Maschera”, “Messa da Requiem”, “Nabucco”, “La Forza del Destino”, “Il Trovatore”, “Attila”, “Adriana Lecouvreur”, “La Wally”, “Carmen”, “Faust”, “Medea”, “La Gioconda”, entre tantas outras.

Completando a sua carreira com uma extensa actividade em repertório de Oratória & Concerto, Paulo Ferreira destaca-se com as interpretações de obras tais como, “Requiem” de Andrew Lloyd-Webber, “IX Sinfonia” e “Christus am Ölberg” Op.85″ de Beethoven; “Petite Messe Solennelle” de Rossini, “Die Erste Walpurgisnacht, Op.60” de Mendelssohn e no “Requiem” de Mozart e “Messa da Requiem” de Verdi.

Paulo Ferreira estreou-se recentemente no palco da Filarmónica de Berlim, interpretando o Tenor Solista da “Messa da Requiem” de G. Verdi.

Trabalhou com os Maestros Semyon Bychkov, Daniel Oren, Carlo Rizzi, Marko Letonja, John Fiore, Jean Yves Ossonce, Aldo Brizzi, Reynald Giovaninetti, Marc Tardue, Jacques Mercier, Peter Tiboris, Christoph Altstaedt, Ainars Rubikis, Francesco Angelico, Markus Bieringer, entre outros, e colaborou igualmente encenadores tais como, Calixto Bieito, Joan Rechi Obiols, KS Heinz Zednik, Thaddeus Strassberger, Staffan Valdemar Holm, Bruno Klimek, David Pountney, Lorenzo Mariani, entre outros.

Como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian estudou Piano, Violoncelo e Canto, na Academia de Música de Santa Maria, tendo prosseguido e concluído o curso de Canto na Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo do Porto. Posteriormente aperfeiçoou-se em Itália, com os Profs. Marinella Melli e Enza Ferrari. Estudou igualmente com os grandes cantores Illeana Cotrubas, Renata Scotto e Franco Sioli.

Paulo Ferreira foi recentemente reconhecido pela crítica internacional, como “um cantor excepcional, detentor de uma incrível técnica de canto com uma voz poderosa, viril e metálica, que recorda Caruso (…) e que combina na perfeição com o que se pode esperar de um Tenor de ópera italiana, com especialização no repertório tardio-romântico.  Um actor altamente sensível. Um autentico evento!”